Já olhou para alguém e pensou: o que se passa na cabeça dela?

É com essa frase, do filme “Divertida Mente”, que se tornou um meme nos últimos meses, que começo falando sobre entender o pensamento de cada um dos seus colaboradores.

Se você não o assistiu ainda, chame sua família ou seus amigos e se surpreenda. Sabemos que o mundo real é muito distante do que a Disney/Pixar mostra, mas esse filme consegue transmitir a seguinte lição: 

A complexidade é inevitável!

Como assim? Vamos lá! Quando a Riley (protagonista do filme) nasce, o painel de controle que gerencia suas emoções tem apenas um botão. Com o passar do tempo, a protagonista cresce e esse painel fica cada vez mais elaborado. Assim como na vida real, quanto mais velhos ficamos, a tendência é que o entendimento das nossas emoções se torne cada vez mais complexos, visto as diversas experiências únicas que vivenciamos. 

Visto isso, tenho certeza que você não é o Professor Charles Xavier e em algum momento na rotina do trabalho, em que se viu sem entender o que o próximo queria comunicar, quis entrar na cabeça daquela pessoa que estava tentando explicar algo e vice-versa. E isso é muito normal, a mente humana é uma das coisas mais complexas que existe.

Talvez, neste momento você pense o seguinte: o que se passa na cabeça de Mateus para misturar post sobre negócios, “Divertida Mente” e “X-Men”? E é exatamente essa confusão que eu quero te mostrar aqui: é impossível entrar na cabeça de alguém! Entender perfeitamente o que se passa na cabeça dela, o que ela pensa ou implementar uma ideia exatamente da forma que você gostaria de passar.

Vamos reduzir a complexidade!

É válido ressaltar, que o desafio de todo gestor é transmitir com clareza os objetivos da empresa para os líderes. Por sua vez, os líderes têm o desafio de passar com a mesma clareza em forma de planos de ação para o setor operacional. Entretanto,  o que acontece na verdade é que toda essa informação é perdida ou distorcida, numa espécie de rádio-peão, que chega nas pontas da empresa como algo muito diferente do que foi proposto inicialmente. 

Sendo assim, o que fazer para garantir que a mensagem não seja distorcida ou perdida ao longo da hierarquia?

Ter uma gestão alinhada em todos os setores (estratégico, tático e operacional) é o primeiro passo para eliminar essas distorções. E como fazer isso na prática? Ora, meu caro leitor, estamos em 2020 e existem softwares excelentes que, aliados a metodologias ágeis de trabalho, vão facilitar e muito o seu entendimento sobre a cabeça das pessoas que trabalham com você.

Em outras palavras: não somos capazes de ler a mente das pessoas, mas ter uma comunicação clara entre os elos da empresa pode facilitar o entendimento dos desejos, vontades e pontos de vista de cada colaborador diante de uma tarefa ou atividade do cotidiano.

Por exemplo, ter uma rotina de One on One (feedback entre líder e liderado), é uma ótima forma de aproximar o líder de cada membro da sua equipe. Uma simples conversa, a cada 15 dias ou talvez a cada mês, recheadas de perguntas como: 

Você se sente desafiado no trabalho?

Está aprendendo coisas novas?

Você está feliz com o seu trabalho ultimamente? Por que?

O que podemos fazer hoje para te ajudar com objetivos de longo prazo?

Sendo assim, um bom líder se preocupa com com o desenvolvimento individual dos seus liderados. Mesmo que daqui uns anos essas pessoas nem trabalhem na empresa atual, mas elas olhem para trás e digam: “Aprendi tanta coisa legal naquela empresa e aquele líder me proporcionou tudo isso.” 

Partindo dessa preocupação, também podemos utilizar o que que chamamos de “Plano de Desenvolvimento Individual” ou PDI. O objetivo dessa ferramenta é entender as necessidades, deficiências de um determinado colaborador e as habilidades que o seu cargo exige, como no gráfico abaixo:

Gráfico de Competências

E o que um gestor deve fazer em posse do Plano de Desenvolvimento Individual dos seus funcionários? Entender o potencial daquele colaborador diante do seu cargo e muni-lo de informações, cursos de especialização e outras atividades que podem desenvolvê-lo de acordo com as habilidades que são exigidas. 

A consequência são líderes que compreendem os sentimentos de cada membro da equipe. E do outro lado da moeda, liderados que sentem confiança respeito e responsabilidade no trabalho exercido pelo seu superior. Dessa forma, todo esse trabalho de desenvolvimento individual facilita no entendimento da complexa mentalidade das pessoas.

Ou seja, enquanto não tivermos a capacidade de ler mentes, aliar metodologias ágeis de trabalho, excelentes softwares de gestão, rotina de One on One e desenvolvimento de pessoas podem tornar a sua empresa ou o seu ambiente de trabalho um lugar mais fácil de compreender o pensamento das pessoas.

Sharing is Caring!